Na manhã de hoje (08/05), estudantes da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/Unidade universitária de Aquidauana (UEMS/UUAq) continuaram a manifestar para dar fim à polêmica do transporte universitário que acomete os acadêmicos desta instituição.

O manifesto começou as 06:30h da manhã, quando os manifestantes, cerca de 150 estudantes, se encarregaram de erguer cartazes e entregar panfletos aos motoristas que circulavam na rodovia Graziela Maciel Barroso (MS-450), caminho de Aquidauana para a UEMS, Camisão, Piraputanga e Palmeiras. Os estudantes conversaram com motoristas, professores, agricultores e simples moradores, de forma a explicar o motivo pelo qual manifestavam e, aos poucos, ganharam o apoio da comunidade. Não houve tumulto durante o ato.

Os estudantes seguiram manifestando pacificamente, mas foi em Anastácio que o ato tomou maiores proporções. Sabendo que Reinaldo Azambuja (PSDB) se faria presente no desfile cívico de comemoração ao 52º aniversário de Anastácio, os estudantes manifestantes chegaram ao desfile cívico às 8:00h da manhã e chamaram a atenção do governador para negociar uma possível solução para o problema do transporte universitário. Cartazes, faixas, narizes de palhaço e panfletos foram algumas das ferramentas utilizadas pelos acadêmicos para pedir a atenção do governador.

As autoridades presentes no desfile cívico, bem como a população que prestigiava o evento, apoiaram a causa dos estudantes que clamavam pelo direito de ir e vir da universidade. O narrador do desfile parabenizou os estudantes e elogiou o movimento estudantil organizado por uma causa justa. O presidente do Centro Acadêmico de Engenharia Florestal de Aquidauana – UEMS (CAEFA/UEMS), Gustavo Pellizzon, não mediu esforços para conseguir falar com o Poder Executivo Estadual, pedindo insistentemente para trocar uma palavra com o governador do Estado. O objetivo foi apresentar soluções ao problema enfrentado pelos acadêmicos na questão do transporte universitário, aproveitando a então visita do governador ao município vizinho para participar das festividades e assinar obras de infraestrutura.

A receita para o fim do problema no transporte universitário, segundo o CAEFA/UEMS, é alcançável pelo Poder Público Estadual através de algumas das três vias a seguir:

  • Efetivar o funcionamento de um restaurante universitário, com cerca de 400 refeições diárias, sem custo aos estudantes. Pois com tal medida, reduz-se a metade da distância percorrida pelos ônibus fretados pelos estudantes e, consequentemente, reduz o seu custo;
  • Abertura de licitação por parte do poder público estadual para o transporte dos estudantes que necessitam do serviço, de forma a custear o funcionamento de um sistema de transporte que leve diariamente os estudantes até a universidade na zona rural de Aquidauana;
  • Incluir, como beneficiários dos serviços da empresa Monte Sião, os estudantes que dependem do serviço de transporte universitário e, evidentemente, arcar com as despesas adicionais que possam resultar dessa decisão.

Apresentadas as possibilidades de se resolver a problemática, espera-se que as devidas atenções sejam dadas ao movimento estudantil que urge em Aquidauana-MS. A dificuldade dos estudantes, em especial dos calouros, em chegarem diariamente à universidade é um problema crônico que, muitas das vezes, impossibilita o bom rendimento dos estudantes nos cursos de graduação. Além de induzir à desistência do curso, a instabilidade e o alto custo do transporte para o estudante da UEMS, pode estar reduzindo o ingresso de acadêmicos na UEMS/UUAq e, consequentemente, no município de Aquidauana-MS.

Sabe-se, evidentemente, que a unidade da UEMS em Aquidauana é uma referência como polo de ciências agrárias, pois oferece excelentes cursos de graduação em Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia, além de Pós-Graduação em Agronomia (produção vegetal) e Zootecnia (produção animal), com quadro de docentes e pesquisadores renomados no assunto. Situado em um Estado de cultura e economia voltadas ao meio ambiente e agronegócio, que exerce forte influência sobre a economia nacional, a valorização do pedido de “socorro” dos estudantes é mais que uma necessidade, pois serão eles que um dia farão a economia emergir.

Cerca de 665 estudantes cursam graduação na UEMS/UUAq, além de outras centenas que cursam pós-graduação e/ou desenvolvem pesquisas na citada instituição. A irregularidade na circulação dos ônibus e a instabilidade no preço do serviço para os estudantes certamente afeta negativamente o funcionamento das atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão desta Instituição de Ensino Superior. A situação preocupante faz com que os estudantes manifestem, ano à ano, para tentar resolver o problema. Em 2017 o movimento estudantil se mostra mais forte e entusiasmado para dar fim a polêmica, tentando resolver, de uma vez por todas, a crítica situação do transporte universitário para os estudantes da UEMS/UUAq.

 

O que seria de Aquidauana sem os estudantes?

“Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo.” 

(Paulo Freire)

 

Vídeo do desfile dos estudantes no 52º aniversário de Anastácio.

Comentários