Campo Grande recebe o ato político-musical que pede a saída do presidente Michel Temer (PMDB) com a sucessão por meio de eleição direta, e também reforçam a luta contra as reformas Previdenciária e Trabalhista. O movimento será realizado na Esplanada Ferroviária, próximo a feira central, neste domingo (25/06). A programação tem início às 15hs e segue até às 23 horas.

Mais de 40 cantores, cantoras, grupos musicais e de teatro confirmaram presença neste evento que vai ocorrer na Esplanada dos Ferroviários em Campo Grande, evento denominado Ato-Show MS Diretas Já! O evento será realizado pelo Comitê Estadual Contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista, formado pelas centrais sindicais (CUT, Força Sindical, CTB, UGT, CSB, NCST e dezenas de federações e sindicatos) e o Movimento Cultural de Mato Grosso do Sul.

Sem custo algum, as famílias campo-grandenses e de cidades vizinhas poderão assistir às apresentações musicais, dança, poesia, teatro, performance e blocos de carnaval que começam às 15 horas e vão até às 22 horas.

 

Entre os artistas que farão parte deste grande ato estão: Teatro Imaginário Maracangalha, Gilson Espíndola, Grupo Acaba, Os Cardigans, Santo Chico, Cocho Elétrico, Teatro – Corpos Lancinantes, Pedro Espíndola, Comando Pérola, Antônio Porto, Grupo Tikay, Natacha Figueiredo, Tauane Gazoso, Ana Cabral, Dj Aruan Barcelos, Maria Alice, Aline Calixto (ato poético), Dagata, Peixes Entrópicos, Ewerton Goulart, Marina Peralta, Caixa de Pandora e Outras Histórias, Angela Montealvão – A Florista, Grupo Bailah, Dj João Menino.

Nos intervalos das apresentações culturais, sindicalistas vão repassar para a comunidade a importância da união de todos em torno dessas questões que colocam em jogo o futuro do país, como as reformas Previdenciária e Trabalhista e agora também a necessidade de novas eleições para presidência da República.

A produtora cultural Fernanda Teixeira informa que “Também temos as pautas específicas da cultura, como políticas públicas definidas, o sucateamento do Ministério da Cultura, que já estava ruim no Governo Dilma e só piorou no Governo Temer, aliás, hoje o Ministério da Cultura nem existe, e as nossas questões locais. Queremos que o governador Reinaldo Azambuja termine de pagar o edital ainda de 2015. Desde que assumiu ele lançou um único edital para a cultura e não terminou de pagar”, criticou.

Diante disso, a programação do ato-show em Campo Grande-MS, embora pareça festiva e celebrável, é um ponto decisivo para convocar a população a abrir os olhos diante do desastre político iminente que a nação enfrenta. As inúmeras apresentações artísticas servem de inspiração para envolver a população na retomada das rédeas que governam o Brasil.

Um manifesto caloroso, provocativo e indispensável, capaz de mover multidões e promover o envolvimento da população nas questões políticas por meio da integração e da valorização da cultura.

Pra frente Brasil !
DIRETAS JÁ!

Comentários