Curso sobre a produção de mudas, coleta de sementes e legislação ambiental

O evento será realizado entre os dias 18 e 20 de outubro

0
51

Coleta, conservação de sementes, produção de mudas e estratégias de restauração ecológica nos Biomas Pantanal e Cerrado” é o nome do curso gratuito que foi realizado entre os dias 18 e 20 de outubro em Aquidauana (MS).

“Se conhece muito sobre as espécies arbóreas cultivadas, como o eucalipto e o pinus, e pouco sobre as nativas, que são naturalmente adaptadas para as condições extremas climáticas de seca, inundação ou altas temperaturas, no caso do Pantanal. Essas plantas têm um material genético valioso que precisa ser valorizado”. A fala é da chefe adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pantanal, Catia Urbanetz – uma das organizadoras do evento.

Durante três dias, o campus da UEMS foi palco de discussões sobre assuntos como as características ecológicas dos biomas, suas plantas, frutos e sementes, produção de mudas de espécies nativas, estratégias de recuperação e a Legislação Ambiental Federal que regula essas atividades. O curso também abordou sobre os critérios técnicos e a importância do  Programa de Regularização Ambiental – PRA (previsto no Novo Código Florestal, Lei 12.651/12) como um “conjunto de ações ou iniciativas a serem desenvolvidas por proprietários e posseiros rurais com o objetivo de adequar e promover a regularização ambiental” sobre técnicas e estratégias para a realização dessas ações.

Atividades

O curso ofereceu diversas palestras e aulas demonstrativas sobre os biomas e a recuperação/restauração dos ecossistemas. O ilustre Dr. José Felipe Ribeiro, pesquisador da Embrapa Pantanal, esclareceu sobre os conceitos, situações práticas e a necessidade do diálogo entre os envolvidos no contexto ambiental, chamando a atenção para o conhecimento sobre o meio ambiente através da observação. Intercalando a fala com o professor e pesquisador da UEMS, Dr. Norton Hayd Rêgo, o público pode compreender o compromisso da humanidade com a “empresa” Mãe Natureza. Os envolvidos no evento puderam se deparar com implicações práticas e situações assertivas, como também repensaram a complexidade de se encaixar nas “regras do jogo ambiental”, considerando a oferta ambiental de cada ecossistemas e os fatores a se considerar ao planejar um projeto de recuperação ambiental.

Durante as atividades alguns dos resultados do Projeto Biomas no Pantanal e Cerrado foram apresentados. O projeto, realizado por meio de uma parceria entre a Confederação Nacional de Agricultura e Embrapa, investiga a inserção da árvore nas propriedades rurais brasileiras.

No Pantanal, o projeto Biomas foi implementado em 2013 e será finalizado em 2019. Por meio do Biomas, a equipe da região pantaneira desenvolveu, por exemplo, um método que usa água corrente para acelerar a germinação das sementes de carandá. Com isso, as sementes, que levariam de dois a quatro meses para germinar, levaram cerca de uma semana para passar por esse processo.

“Os resultados do projeto também serão apresentados na forma de indicação de espécies aptas para a restauração ambiental, bem como técnicas de produção de mudas e sementes de espécies nativas”

-Dra. Catia Urbanetz, chefe adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pantanal.

As indicações de espécies para os biomas Pantanal, Mata Atlântica e Cerrado foram desenvolvidas por meio de uma parceria entre o Projeto Biomas e o projeto especial da Embrapa “Soluções tecnológicas para a adequação da paisagem rural ao Código Florestal Brasileiro”. A lista está disponível para consulta na página do projeto . Durante a capacitação também foi inaugurado o viveiro de mudas da UEMS, que irá atender ao curso de engenharia florestal, além de atender as demandas do projeto Biomas.

O curso “Coleta, conservação de sementes, produção de mudas e estratégias de restauração ecológica nos Biomas Pantanal e Cerrado” é uma realização da Embrapa Pantanal, Embrapa Cerrados, Confederação Nacional de Agricultura (CNA), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e John Deere.

O Projeto Biomas é fruto de uma parceria entre a Confederação Nacional de Agricultura e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), SEBRAE, Monsanto, John Deere e BNDES.

Saiba + sobre Agricultura !

Conserve o meio ambiente, respeite a Natureza!

Fonte: Nicoli Dichoff – Embrapa Pantanal
pantanal.imprensa@embrapa.br

Comentários

Compartilhar
Artigo anteriorAprenda a plantar feijão orgânico em casa
Próximo artigoOnde presenciar fenômenos naturais incríveis

O AquidauanaMais objetiva unir os saberes da comunidade Aquidauanense, Anastaciana e da Região em um portal de entretenimento, interação e diálogo, onde todos possuem liberdade para expor suas opiniões e ideias.