O feijão sempre foi um alimento tradicional da cozinha brasileira, mas não é só no Brasil que a semente faz sucesso. De acordo com o Especialista em agricultura orgânica Thiago Tadeu Campos, cada país tem sua marca cultural, não só no preparo do alimento, mas também na forma como plantar feijão orgânico. Os feijões cultivados para a culinária mexicana, por exemplo, são totalmente diferentes daqueles que são consumidos diariamente em nossas casas. A grande variedade de feijões torna o alimento algo universal, mas que ao mesmo tempo reflete a cultura de cada lugar de maneira única.

No Brasil, inclusive, são cultivadas diversas variedades do feijão para poder abastecer o mercado o ano todo sem causar grandes impactos nos preços. Embora só conheçamos a diferença pela cor (feijão preto, feijão branco e feijão carioca), são as subespécies desse alimento que passam por nossas mesas diversas vezes no ano.

Contudo, o feijão industrializado sofre fortes alterações químicas, o que é extremamente prejudicial à saúde. Dessa forma, o consumidor deve optar por adquirir feijões orgânicos certificados, de feiras orgânicas ou mesmo plantar o seu próprio feijão orgânico.

Plantando feijão orgânico

O feijão orgânico é um alimento razoavelmente fácil de se produzir, principalmente para aqueles que já estão acostumados com o cultivo orgânico. O produtor de feijão orgânico deve estar atento ao tipo de feijão consumido em sua região para em seguida planejar o cultivo. No Brasil recomenda-se o cultivo de feijões do tipo feijão verde, feijão guandu, feijão carioca e feijão preto, pois são facilmente aceitos pelo consumidor.

Contudo, aprender como plantar feijão orgânico é um processo que exige um pouco mais do produtor, não bastando apenas plantar o feijão no algodão. É necessário atentar-se aos detalhes e exigências da planta, pois somente assim terá uma plantação saudável e rentável.

As sementes, por exemplo, precisam ser cuidadosamente escolhidas, uma vez que podem haver grandes números de sementes infectadas com vírus ou que, por estarem demasiadamente fracas, acabam por adoecer e morrer logo nos primeiros momentos de seu desenvolvimento. Alguns produtores buscam sementes inoculadas, mas caso essa seja a opção é importante que exista uma verificação de todo o processo, prezando pela organicidade da semente. A inoculação é um processo em que se adicionam bactérias fixadoras de nitrogênio à semente por meio de produtos chamados inoculantes ou biofertilizantes.  Estas bactérias “trabalham” em conjunto com as plantas, associadas às raízes, ajudando no melhor aproveitamento do Nitrogênio no solo, substituindo a utilização de fertilizantes nitrogenados industriais. É uma tecnologia simples, barata e que não polui o meio ambiente.

O feijoeiro, ao contrário de outras plantas, não necessita de uma fase de formação de mudas fora do campo e pode ser plantado diretamente na terra. Vale ressaltar que a rotatividade de canteiros é essencial para que a planta se desenvolva sem doenças e com todos os nutrientes equilibrados. Uma dica importante para plantar feijão orgânico é semear em terrenos onde não tenham sido plantadas culturas da mesma família botânica, como amendoim, soja e ervilha.

Para que tanto as raízes, quanto os galhos possam se desenvolver, é importante garantir um espaçamento de aproximadamente 50cm entre as linhas de plantio. Ao plantar é necessário apenas uma semente por cova, depositada à 4cm da superfície. Entre plantas o espaçamento deve ser de 7cm a 10cm, oferecendo assim, liberdade para que as plantas cresçam sem competir com as vizinhas. O tempo de germinação do feijão é de aproximadamente 15 dias.

Os feijoeiros são plantas que se desenvolvem bem em ambientes quentes, logo, para que cresçam com vigor é importante manter a temperatura em torno de 15°C e 30°C, no entanto, a temperatura ideal, é entre 18°C e 25°C. O feijoeiro não suporta temperaturas baixas nem geadas, por isso é importante evitar terrenos com baixadas, onde ocorram geadas com frequência, e verificar a época do ano na qual a plantação será cultivada.

A alta luminosidade faz com que os feijões se desenvolvam e sequem com maior facilidade, sendo uma das principais exigências para uma plantação de qualidade. Para aqueles que optam por um sistema de Agricultura Sintrópica, o feijoeiro tem boa aceitação em áreas sombreadas por plantas mais altas, como o milho.

O solo ideal para o cultivo orgânico do feijoeiro deve apresentar pH entre 6,5 e 7 e ter boa fertilidades, com os nutrientes em equilíbrio, como Nitrogênio, Fósforo e Potássio – NPK. Além disso, é preciso que haja boa drenagem da água, promovendo à raiz um solo ligeiramente úmido, mas não encharcado. Um solo bem estruturado também faz diferença no resultado final.

Imagem: iStock by Getty Images

Imagem: iStock by Getty Images

Em caso de ausência de nutrientes, pode-se utilizar de adubos e material orgânico na superfície do solo, dessa forma haverá o reequilíbrio das propriedades nutritivas sem a necessidade de insumos agrícolas industrializados. O material orgânico também vai proteger o solo da erosão causada pelos ventos e/ou chuvas e ajudar na manutenção da umidade adequada.

O produtor orgânico deve estar sempre atento aos níveis de umidade do solo. Caso necessário, o sistema de irrigação  controlada pode ser uma alternativa, minimizando os esforços e garantindo que a planta sempre receberá a quantidade exata de água para se desenvolver com qualidade. Atentar-se aos períodos de chuvas é importante para que as plantas não fiquem demasiadamente encharcadas, pois além de atrapalhar o desenvolvimento, o excesso de umidade é um ambiente ideal para a instalação e proliferação de doenças.

Entender como plantar feijão orgânico envolve também o aprendizado sobre proteção contra pragas e doenças; O feijoeiro é uma planta delicada e o produtor deve estar atento às ervas daninhas e pragas, principalmente durante o primeiro mês. O controle natural de pragas é um método eficaz no combate das pragas e preserva a organicidade do cultivo.

A colheita pode ser feita manualmente ou através do maquinário adequado quando as vagens do feijão estiverem secas ou começando a secar. Isso ocorre cerca de 80 a 100 dias após a germinação. Depois de colher as vagens, é preciso deixar que elas sequem completamente para evitar danos pós-colheita. O produtor pode deixar todas as vagens expostas ao sol por dois dias, fazendo com que a umidade dos grãos reduza para aproximadamente 15%, nesse momento ele estará pronto para o armazenamento.

A recomendação é de que os feijões sejam selecionados e, aqueles que estiverem atendendo aos padrões de qualidade, sejam setorizados e embalados em sacos novos e limpos. O uso de pallets ou estruturas de madeira evita o contato do alimento com o chão, afastando a presença de insetos e roedores e até mesmo isolando os feijões da umidade.

Opte sempre por feijões orgânicos

O uso de alimentos orgânicos garante uma vida mais saudável e evita futuras doenças. Por ser um alimento consumido diariamente, o feijão deve ser tratado com mais atenção e a opção orgânica deve ser considerada sempre que possível. Além de ser um consumo saudável não prejudica o meio ambiente.

Fonte: CicloVivo

Comentários